Geek Vox #182 – REFLEXÕES SOMBRIAS SOBRE BLACK MIRROR – PARTE 2

Geek Vox #182 – REFLEXÕES SOMBRIAS SOBRE BLACK MIRROR – PARTE 2

0

FALAEEEE GALERA!

Aguardando ansiosamente a 3ª temporada!

Aguardando ansiosamente a 3ª temporada!

Está no ar mais um Geek Vox! No programa de hoje, DOUG, RIZZATO, MARIA CONFORT, RAFA DAVANT, GUILHERME PEACE E MAROTO continuam a conversa sobre o E SE do Stanás: Black Mirror! Focando agora na 2ª temporada e no especial de natal!

ATENÇÃO GEEKS: esse Geek Vox é a parte 2 de 2 sobre Black Mirror – para ouvir a 1ª parte, clique aqui!

Coloque os fones de ouvido e prepare sua piroca azul mente para a série que traz à tona todos nossos reflexos sombrios!



 

NOSSO FEED PARA SEU AGREGADOR: http://feeds.feedburner.com/geekvoxpodcast

ASSINEPARTICIPE

NOSSAS ATRAÇÕES: DOMINGO – GEEKVOX /  TERÇA – GEEK TRACKS /  QUINTA – MULTIPLAYER NEWS

About author
Equipe Geek Vox

Equipe Geek Vox

Doug Oliveira & Rodrigo Maroto. Os Geeks que dão voz ao Geek Vox! OUÇA NOSSO PODCAST EM: http://geekvox.com.br/geek-vox/

  • Este é um dos meus canais favoritos. Ele tem 3 séries, todas com material muito inteligente.

    8-Bit Philosophy: em vídeos bem curtos, o narrador explica as visões de filósofos antigos e modernos usando um background de games clássicos.

    Thug Notes: um doutor em literatura faz análises de livros clássicos do escopo anglo-americano (e as vezes internacional); todavia, o doutor se veste como um “thug”, como um valentão da quebrada, um gangster malaco, e fala com linguajar e gíria exagerada, dando um contraste cômico às análises.

    Earthling Cinema: um personagem arqueólogo-alienígena-do-futuro investiga e explica “artefatos antigos” do cinema terráqueo, incluindo muitas piadas engraçadas de falhas interpretativas dos aliens quanto à nossa cultura, mas com uma análise sobre filmes inteligentíssima.

  • Sensacional esse vídeo.

  • A boa arte traz mais perguntas q respostas 😉

  • Acho que faltou falar um pouco sobre o tema principal do ep. do Waldo: a transformação do processo político democrático em um produto de entretenimento. Tudo que eu quero falar sobre esse episódio já foi muito bem dito neste vídeo:


  • Eu vi o primeiro episódio da segunda temporada como uma metáfora pro divórcio (ou término de um relacionamento sério). A morte representaria quando aquele relacionamento longo já não está mais legal; o aplicativo são as tentativas de forçar o relacionamento falido, de continuar insistindo quando já não há mais sentimento; o corpo robótico são as atitudes desesperadas de tentar reviver a parte boa do relacionamento; a cena do abismo é a separação, o break up; a parte do sótão é o pós-término, tanto que a filha só ter acesso ao robô do pai no final de semana e no aniversário é uma indireta às regras que pais divorciados tem que se submeter. Por fim, o robô pra sempre guardado no sótão com uma personalidade estática é uma metáfora do pai ou mãe pra sempre trancado nesse papel, nesse role, mas sem meios para tal.

    É muito legal ver as diferentes interpretações do texto e saber que ele pode ser analisado por tantos ângulos diferentes.

  • Brancão

    Mijei de ri com as notas do Maroto no final ,puta q pariu..mardito mercenário.

  • hahah sim, a decisão de dividir em 2 partes veio com 1h30 de gravação e nem na 2ª temp haviamos entrado. Pra não ficar massante, a melhor coisa é dividir. Muito legal que gostou. Uma coisa que achei foda nessa série é como cada episódio pega nos feelings de pessoas diferentes de forma diferentes, mas ninguém fica indiferente em nenhum episódio.

  • Henrique Tavares

    Como provavelmente foi a mesma gravação em que vocês estavam inspirados, não esperava menos depois da parte 1. Vocês foram incrivelmente incisivos e profundos mesmo discutindo uns 15 minutos de cada episódio!

    Eu acho o White Bear e o Waldo Moment os dois episódios mais fracos. Gosto bastante até do Be Right Back, achei que as reflexões ficarem quase subliminares dão um gostinho a mais pra assistir, talvez seja o que eu mais tenha curiosidade pra voltar mais uma vez. Mas meu preferido acho que é o The Entire History of You (tô acostumado a chamar ele de “episódio do Grão”). Acho que ele é o que mais mostra como os seres humanos se moldam em volta da tecnologia, como a sociedade e os costumes são coisas extremamente flexíveis…

  • Em algum lugar do país colocaram presos para limpar as ruas após uma enchente há alguns dias atrás. Acho a melhor iniciativa ever – mas como vai rolar superfaturamento se essa moda pega, não é mesmo?

  • – O IPHONE 7 PRECISA MESMO TER 17 POLEGADAS DE ALTURA?

  • Jacarepaguá – Avatar da Treta

    Dias a menos não. Eles ainda iriam cumprir a pena inteira, só que vão ser úteis para o pais, em vez de ficarem parados sem fazer nada ou vandalizando instalações governamentais. E não sei se por eles em ambientes abertos seria algo proveitoso, ou com ferramentas, o risco é muito grande. Mas já em bicicletas presas no chão, supervisionados por guardas armados, divididos em sessões, poderiam ser bem utilizados. Energia limpa.

  • VLOGUEIRO REBELDE

    nem precisava ser bicicleta, basta fazer os trabalhos que os governos pagam pra empreiteiras realizar.. sairia muito barato substituir parte dum salario por dias a menos preso.
    É claro que governos honestos, fariam isso …

  • VLOGUEIRO REBELDE

    QUE BOM QUE A SÉRIE É CURTA…
    E pelas analises feitas ai no pod, vou ter que assistir pra ter a minha visão sobre os acontecimentos discutidos por vcs. E apesar de todos usarem a desculpa fdp que a tecnologia evolui, para o progresso da humanidade, acho que vamos chegar um dia que teremos de perguntar:
    – O IPHONE 7 PRECISA MESMO DESSA FUNÇÃO?? ahh tinha que ter uma zueira !!

  • Jacarepaguá – Avatar da Treta

    Opa… First?
    Enfim, a série é ducaralho e me deu umas puta ideias, em vários âmbitos… Por exemplo, para o sistema penitenciário no Brasil… Imagina se cada uma daquelas bicicletas fossem um dínamo e gerassem energia elétrica e tivesse onde armazenar essa energia ou já distribuir… Abraços 15 milhões de méritos.