As verdadeiras criaturas de “O caso da Borboleta Atíria”

As verdadeiras criaturas de “O caso da Borboleta Atíria”

9

Saudações, Geeks!

Lúcia-Machado-de-Almeida-O-caso-da-borboleta-Atíria-1975-1990-Editora-Ática-Coleção-Vaga-lume

A série vaga-lume foi, com certeza, uma das iniciativas mais bem sucedidas de divulgação da literatura infanto-juvenil realizada no Brasil. Há mais de 40 anos no mercado, com mais de 100 títulos publicados, praticamente quase todos os  brasileiros já leram algo dessa série. Hoje vamos explorar um pouco do livro “O caso da Borboleta Atíria“, escrito pela premiada Lúcia Machado de Almeida.

Originalmente publicado no ano de 1975, conta a história de Atíria, uma borboleta que nasceu com uma pequena falha em suas asas, impossibilitando que ela consiga voar direito. Criada por uma gentil Jitiranabóia, um dia encontra com o príncipe Gafanhoto e descobre que a futura princesa foi assassinada.

Por trás do romance velado que acontece entre a protagonista e o príncipe dos insetos, acontece uma trama de mistério envolvendo assassinatos, conspirações para matar a jovem borboleta e a tentativa de roubo do trono.

A leitura é bem leve, e alguns capítulos fogem da narrativa principal para que assim, mais do universo possa ser apresentado. O destaque desse livro, porém, está no profundo estudo que a autora realizou sobre o mundo dos insetos.

Conforme a bibliografia apresentada no final do Livro, a autora consultou catorze obras para assim tentar apresentar fatos reais e descrições o mais precisas possíveis dos seus personagens. Algumas liberdades poéticas são tomadas de vez em quando, mas mesmo assim Lúcia Machado deixa explicações em notas de rodapé, explicitando o que é realidade e o que é ficção.

Mesmo com essa preocupação, alguns jovens leitores podem ficar confusos sobre os insetos que aparecem no livro, ou apenas curiosos sobre a forma real dessas criaturas.

Nós do Geek Vox resolvemos poupar o seu tempo e juntar aqui fotos de todos os insetos apresentados no livro.

 1. Jitiranabóia

A Fulgora lanternaria, Mais conhecida como Jequitiranabóia ou Cobra-voadora, é uma parente das cigarras. O seu nome vem da mistura de duas palavras do tupi-guarani: Iakinára (Cigarra) e Mbóia (Cobra). No livro ela é a doce senhora que recebe a protagonista como filha.

Jequitiranaboia

2. Atíria

A protagonista do livro é conhecidas pela sua cor amarela e preta, as Atyria isis são facilmente encontradas na região do Amazonas. Ao contrário do título do livro, Atírias são mariposas e não borboletas.

AtyriaSp

 

3. Louva-a-deus

Mantis religiosa que aparece no livro é um dos melhores amigos da protagonista. O seu nome nasceu do fato de que esse inseto mantém quase sempre as suas duas patas dianteiras juntas, como se estivesse rezando, o que contrasta muito com a sua personalidade brincalhona e travessa. Na natureza, porém, o Louva-a-deus ataca outros insetos para alimentação e é muito conhecido por matar os seus parceiros sexuais depois do coito.

louva-deus

4. Caligo

Também conhecida como Borboleta-coruja, a Caligo eurilochus, é uma das acompanhantes do príncipe grilo. Para proteger-se de predadores ela utiliza de uma técnica de camuflagem muito interessante que, nesse romance, foi utilizado como plot twist.

Caligo_eurilochus_bananenfalter

5. Papílio

O Papílio anchisiades capys é o  detetive do reino dos insetos. Encarregado de descobrir o mistério envolvendo a morte da futura esposa do príncipe grilo.

2159655123_25cc883b43

6. Helicônia

A futura esposa do príncipe grilo que infelizmente foi assassinada era do gênero Helionius, que abrange um número muito grande de borboletas. Uma delas, a Maria-boba (Heliconius ethilla) é uma das várias de espécies presentes em quase toda a América do Sul.

086_narcaeaF-e1335721753495

7. Vanessa Atalanta

Vanessa Atalanta é uma borboleta comum na Europa e vem visitar o príncipe grilo. Tornando-se a atração de  quase todos os insetos do bosque.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

8. Morfo Menelau

Quando Atíria se perde no meio da floresta, a primeira borboleta que aparece é a Mofo Menelaus, porém como ela não conhecia a Alameda dos Pinheiros, não pode ajudar a nossa protagonista.

Morpho_menelaus_huebneri_MHNT_Male_Dos

9. Touro-Voador

Apesar de existirem várias espécies conhecidas como Touro-Voador, o Megasoma gyas gyas é uma possível referência que a autora utilizou como inspiração para o primeiro perigo que a protagonista tem que enfrentar.

Exif_JPEG_PICTURE

10. Arlequim-da-mata

Outro dos perigos que a protagonista tem que enfrentar é o Acrocinus longimanus.  Também conhecido como Besouro-da-figueira os machos dessa espécie podem chegar a apresentar patas dianteiras maiores que o próprio corpo.

980967_762104013804717_140326870_o

11.Bômbix

Bombyx mori é uma das criaturas que Atíria encontra em suas aventuras, perdida pela floresta. No texto, ela se exibe por ser a famosa Bicho da Seda.

5823451141_da9bba40e3_z

12. Catagrama

Pouco comum no Brasil, a Catagramma lyrophila aparece conversando com a Bômbix. Enquanto ouvia as utilidades da seda, afirmava que a sua beleza trazia alegria para quem a visse.

Catahesperis

13. Bicho-pau

Ctenomorphodes chronus é uma das espécies que provavelmente inspirou a autora. No livro, é ele que consegue levar Atíria de volta para a sua casa.

bicho-pau1

14. Reduvius

O misterioso fantasma que assombrava os insetos acabou revelando-se apenas a larva do Reduvius pesonatus. Quando pequeno, ele junta elementos da natureza para se proteger, como areia, folhas e pedras pequenas.

Reduvius_personatus,_Masked_Hunter_Bug_nymph_camouflaged_with_sand_grains

15. Borboleta-abelha

A vilã da grande colmeia, Aphomia sociella, na realidade é uma traça que lembra muito vagamente uma abelha. Na realidade são as larvas dessa traça que se alimenta do mel das abelhas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

16. Cigarra

Aparecendo várias vezes durante o livro, a Cicadoidea é mundialmente conhecida pelo seu canto estridente. O livro também apresenta uma curiosidade da sua larva: O período de dormência varia muito entre as espécies, chegando até alguns anos.

16.cigarra

17. Tarântula das furnas

Uma das criaturas da gruta onde Caligo e o Esqueleto-vivo se escondiam. Escondida no primeiro cubículo, uma das mortes reservadas para Atíria e uma das criaturas que atacaram o exército do príncipe grilo.

Brachypelma_Albopilosum_L5-6

18. Gigante Dinastes Hércules

Outro dos insetos escondidos para matar Atíria, Dynastes hercules foi um grande guerreiro que lutou contra o exército do príncipe grilo.

Dynastes hercules ecuatorianus  MHNT

19. Taturana de fogo

A larva de vários tipos de mariposas, a mais comum no Brasil é a Lonomia obliqua.  Essa era o maior medo que Atíria tinha e foi a morte escolhida para ela.

Lonomia-obliqua-citsc-1

20.Lacráia

Também chamadas de “Samambaias da morte”, as Scolopendras forma a morte escolhida para matarem o príncipe grile.

LacraiaUma boa leitura, geeks!

PS: Infelizmente, como a autora não especifica a espécie do esqueleto-vivo, fica quase que impossível delimitar qual a espécie que inspirou o personagem. Apesar de a autora afirmar que existam insetos com essas características em grutas e cavernas, eu não consegui encontrar um que chegasse próximo à descrição dele. Se você encontrar, deixe nos comentários a sua sugestão!

About author
Equipe Geek Vox

Equipe Geek Vox

Doug Oliveira & Rodrigo Maroto. Os Geeks que dão voz ao Geek Vox! OUÇA NOSSO PODCAST EM: http://geekvox.com.br/geek-vox/

  • Wanderlei Souza

    Faltou o príncipe grilo!!

  • Rodrigo Henrique

    Excelente postagem! Esse livro marcou a minha infância também, e pretendo lançar em breve a animação inspirada no livro, e de fato pretendo retratar em desenho animado todas essas espécies, a um estilo musical (o projeto tem até blog, http://ocasoatiria.blogspot.com.br/ ). Agora, sobre a espécie do Esqueleto vivo, acredito que a inspiração tenha vindo do grilo cavernícola da espécie Strinatia brevipennis, é o que mais se encaixa com a descrição – e será a inspiração para o desenho animado…

  • Pingback: Top 10 - Veja tudo o que bombou no Geek Vox durante a semana! - Geek Vox()

  • Rodrygo Tanaka

    Muito obrigado! Esse também foi um livro que marcou o meu primário! 🙂

  • Danielle Sousa

    Sensacional esse post! Lembro que li as aventuras da querida Atíria quando eu tinha uns 10 anos e adorava todos esses bichinhos. A Mofo menelau e a bombix eram as que eu mais curtia, mesmo sem nunca ter visto uma foto! Parabéns pelo texto!